Women campaigning with megaphoneWOMAN CAMPAIGNING WITH MEGAPHONE

NÓS GERAMOS MUDANÇAS

Desde há mais de 35 anos que lutamos por um mundo mais justo com compaixão, campanhas e produtos de beleza que empoderam comunidades.

Desde há mais de 35 anos que lutamos por um mundo mais justo com compaixão, campanhas e produtos de beleza que empoderam comunidades.
a carregar
a carregar

“Se fazes as coisas bem, fá-las melhor. Sê ousado, sê primeiro, sê diferente, sê justo.”

Anita Roddick

… e está no nosso ADN

Desde o dia em que Anita Roddick fundou a The Body Shop, em 1979, sempre mantivemos a promessa de lutar pelo que está certo. No que toca a fazer campanha, temos andado bastante ocupados. Nós sempre demos a cara, sem medos. Juntámo-nos, fizemos petições e marchámos junto do nosso coletivo por temas que interessam a toda a gente. Temos os cartazes que o provam.

O espírito e a paixão de Anita nunca abandonaram este negócio. O seu bom senso direto e o seu amor radical pelo planeta estão por toda a parte. É o que molda o nosso pensamento sobre tudo o que nos rodeia. Aliás, é por isso que todos trabalhamos aqui. Por isso queremos contar-te um pouco mais sobre os prós e os contras da nossa filosofia changemaker.

Para nós, um mundo mais justo é um mundo justo e inclusivo. É um mundo onde todas as pessoas são tratadas com igualdade e sem preconceitos, seja pelo que são ou pelo que acreditam.

Um mundo mais belo é um mundo onde as pessoas e comunidades respeitam e trabalham em harmonia com a natureza, onde humanos, pássaros, abelhas e todos os outros seres, podem florescer.

Soa mesmo bem, não é?

a carregar
Save animal testing banner with cruelty free international

Aqui vem a parte difícil

Imaginar um mundo ideal para toda a gente é um sonho maravilhoso, mas a luta requer um pouco de coragem. Para isso, temos um ingrediente mágico. É o que mais nos entusiasma e é a ferramenta mais poderosa que temos: o poder das pessoas. As nossas pessoas, claro. E tu fazes parte delas.

Tu sabes, tão bem como nós, que quando a humanidade se une por uma causa comum, somos imparáveis. Iremos sempre trabalhar arduamente nos bastidores e fazer-nos ouvir nos temas que importam, mas isto é um trabalho de equipa. Queremos que te juntes à luta da The Body Shop, mantendo-te ao nosso lado nos temas que realmente importam.

Pelo que lutamos?

Somos bastante específicos em relação àquilo pelo qual lutamos. Já fizemos campanhas por ativistas de direitos humanos, contra o tráfico humano, contra as queimadas das florestas tropicais, contra os testes em animais e para consciencializar urgentemente as pessoas durante a crise da SIDA. Muito bom para um marca que vende champôs.

Lutamos pela justiça social e ambiental. É a nossa cena. O nosso maior foco está sempre onde há pessoas que não são escutadas ou que não têm voz. Muitos grupos, como pessoas e comunidades jovens ou marginalizadas (especialmente mulheres e raparigas) são comummente sub-representadas na hora das tomadas de decisão - por isso, fazemos questão de amplificar as suas vozes, a cada oportunidade. Iremos sempre representar e ajudar a empoderar as pessoas para procurar justiça onde ela não existe.

a carregar
CFT PARTNERS

a carregar
SELF LOVE IMAGE

a carregar
LEADING LIGHT FOR OUR SELF LOVE CAMPAIGN

a carregar
EU BAN ON SALES OF ANIMAL TESTING

Pode uma marca de beleza realmente lutar pela justiça?

Esta seria uma pergunta mais do que legítima. Se a nossa fundadora Anita Roddick ainda estivesse viva, certamente diria “Mas claro que pode!” E a resposta simples é: sim. Anita dizia sempre “up yours” (uma espécie de “cala a boca” na onda do “vai pentear macacos”) aos cínicos e pedantes que se atravessavam no caminho do progresso. E nós fazemos o mesmo. E, por falar nisso, o ativismo de marca a sério não se trata de marketing associado a causas. Não é só doar dinheiro a organizações. Para nós trata-se de organizar todo o nosso negócio de dentro para fora, com o objetivo de mudar a sociedade para melhor. Se é fácil? Não. Se acreditamos absolutamente, com todas as nossas forças, que vale a pena? Claro que sim.

a carregar
ANITA STOP THE BURNING SIGN

Há o que se diz, e depois há o que se faz

Ativismo não é “sim, sim, isto é super importante”, não é, nem pode ser, um punhado de declarações sem verdadeira intenção e uma mão cheia de frases feitas nas redes sociais. Não interessa nada de nada ser radical, se não se passar à prática. E, para nós, isto significa aproveitar o poder coletivo das pessoas para atingir resultados perfeitamente tangíveis. Mas isto não é magia. Para lá chegar, tem de se trabalhar com cabeça. Os movimentos devem ter objetivos e reivindicações claras e é por isso que nós trabalhamos de forma organizada e estratégica, para garantir que os nossos também o são.

Há mais do que uma só maneira de iniciar um movimento, mas no nosso trabalho, todas as partes se encaixam. As nossas campanhas podem tomar várias formas, mas nós vamos sempre amplificar as vozes dos especialistas que dominam os temas em questão. Vamos trabalhar lado a lado com eles, para mudar o sistema que precisa de mudanças. As nossas campanhas podem ser diferentes de país para país, mas são sempre sensíveis ao contexto. Onde quer que faça sentido, estamos focados em gerar mudanças na legislação ou políticas.

Vão haver pedras no caminho. Algumas lutas são complicadas, outras podem levar anos. Mas ninguém disse que o ativismo era fácil e nós estamos comprometidos a longo prazo. Os nossos compromissos irão sobreviver por muito tempo às tendências de beleza sustentáveis. Comprometemo-nos com soluções permanentes que beneficiem a humanidade hoje, amanhã e muito para além do nosso tempo.

Se quiseres saber mais sobre como trabalhamos, podes ler mais sobre a nossa história de gerar mudanças, a nossa original e radical fundadora e algumas das pessoas incríveis com quem trabalhamos atualmente.